quarta-feira, 30 de junho de 2010

Olhos Abertos e Fechados



Fecho os olhos e vejo
poesias, prosas e contos.
escuto melodias e lyricos
tão suaves, que me sinto
acalentada com
uma energia mágica e única.
Abro os olhos e vejo páginas,
marcadores, cores,
versos, frases e pitadas
de Frida Kahlo por toda parte.
Sinto influências
as quais me contactam
sem formalidades, convites
ou regras impostas.
É tudo livre no meu 
mundo criativo
de uma mente voraz
em palavras, sentimentos
e espiritualidades não rotuladas.
É tudo livre, 
como um animal selvagem,
uma flor na brisa
e o Cristo Redentor de braços abertos
para todos... e eu 
enxergo de olhos abertos 
e fechados,
porque o sonho
ainda é meu.

Sabrina Mata


quinta-feira, 17 de junho de 2010

E o amor sempre diz alguma coisa...



"Que o amor seja selado
com um beijo ardente
e não pesado
como um fardo cerrado.
Que suas palavras
me encham de carinho e proteção,
sem espaço para insultos e palavrão.
E que a gente seja apenas um todo,
sem vazio e pensamento tolo.
Porque quando estou ao seu lado,
me sinto inteira e especial,
e não quero ter medo de nenhuma emoção,
pois sei exatamente o que diz meu coração."



quinta-feira, 10 de junho de 2010

Mata Machado, nós


E aquela familia composta de tantos malucos, so podia ser a minha... 

Ninguém era normal, mas todos eram autênticos e divertidos.
Nosso natal sempre foi especial 
e as brigas fundamentais para uma união desprovida de superioridade.
Aquela familia era a minha.
Pensadores, lunáticos, artistas, gentalhas, doidos e felizes... uma natureza escarsa, 
mas as festas e casamentos inegualáveis aos olhos de quem sabe saborear a vida 
pela união, pela musica e por uma dança livre, onde vinhos e chops são bem vindos.
Ninguém de fora poderia julgar, mas todos sem exceção 
ja foram as berlindas das rodas de fofocas familiares. 
Isso sim era incômodo, mas passivo de entendimento, 
humanos como todos os outros; explosivos como Mata Machado latentes.
Aquela familia era a minha e graças a Deus, 
foi nela que eu me criei, achei e perdi, diversas vezes; 
mas jamais dexei de apreciar os bons e os maus, 
por apenas em nós o mesmo sangue circular 
e nos contras e prós estarmos juntos e sermos nós.



quarta-feira, 2 de junho de 2010

Pensamentos em fragmentos...


Pensamentos em fragmentos, me tomam a cabeça.
Nada que aconteça, apenas reflito.
Acredito que existam várias verdades diante do mesmo ponto de vista, 
assim segue a contradição, em dois sentidos bons.
- "É injusto amar uma pessoa durante anos de vida."
- "É maravilhoso ter um amor para vida toda."
Poderia desenvolver histórias emocionantes,
com finais felizes e distintos.
Ou apenas observar sem preconceitos e tabús o mundo há volta.
Cada jornada uma parada, cada parada uma missão.
Temos que respeitar a individualidade e sensibilidade alheia.
Basta uma escolha ou depende do "lifestyle" e oportunidades que vivênciamos.
Tudo é uma questão de adaptação, coragem e sorte. 
Metade de nós é história e a outra metade é destino. 
Faça valer a pena a sua verdade para sua vida, 
ninguém tem a certeza do tempo.