quinta-feira, 27 de maio de 2010

Sou o que Sou



Sou o que sou,
Dependendo de como estou.
Pra onde vou.
Do que sonhei,
Como acordei.
Dias de paz, dias de caos.
Sou o que sou,
Naquela manhã,
Diante de um por do sol.
No meio de uma viagem.
Depois de uma briga.
Sou o que sou,
As vezes o que quero ser,
Outras abominável ser.
Sou o que sou, 
Apaixonada,
Mimada, maternal
Lúdica e carnal.
Sou o que sou,
Quando tenho o que quero ter.
Perco sem querer,
Se julgam o meu ser.
Sou o que sou,
Dependendo do momento,
Da circunstância,
E do grau de minha ignorância.
Sem falsa moral,
Então sou o que sou.
Não me leve a mal,
nem eu, nem você,
ninguém é normal.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Jornada Individual



" SEJA O QUE FOR
NÃO VOU OLHAR PARA TRÁS.
VOU SEGUIR ADIANTE
SEM TEMER O NÃO VISTO ANTES.

PARTIR PARA O DESCONHECIDO
RUMO A CHEGADA
DE UMA NOVA VIDA.

UM HORIZONTE
QUE LIGA A FONTE
DO VALOR DISTRIBUIDO
PELO SOFRIMENTO DE ALCANÇAR
O DESPEGO.

E POR FIM
DA DE ENCONTRO
COM A CRUEL REALIDADE
DO JULGAMENTO INDIVIDUAL
QUE NOS AGUARDA
EM TODAS AS ESQUINAS
DAS ETAPAS DA VIDA.

SOMOS ÚNICOS
EM NOSSAS ESCOLHAS
MAS VIVEMOS COLETIVAMENTE,
EM DIVERSAS MENTES.

NOS ADAPTAMOS E
ACEITAMOS
QUEM SOMOS E
EM QUE NOS TRANSFORMAMOS.
SEMPRE SEGUINO EM FRENTE." 



Sabrina Mata - Livro: "Fase De Transição"

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Era uma vez...


Era uma vez...
Fada madrinha
Cinderela, caminho de pedras amarelas
Dragões, castelos
Bruxos e mistérios.
Élfos, labirintos, poções mágicas
Sedução, bela canção.
Era uma vez...
Torre, trança cumprida
Conrcunda, floresta, varinha
O bem e o mal, espelho
Madrasta, principe e maça
Gigante, sereia, casa de doces
Homem de lata, rena do nariz vermelho
Ir atras do coelho.
Plifit, plaft, plum…
Cresce, diminui...dança
Carruagem, sapato de cristal
Tapete voador, cavalo alado
Sapo enfeitiçado
Era uma vez...
Patinho diferente, lua encandecente
Elefante que voa,
Animais que falam
Pé de feijão, caminha na caixinha de fósforo
Nesse mundo encantado
Nossa infancia cheia de esperança 
Aprendiz tem que voltar a ser criança 
Para encontrar a saída feliz
Olhar seu próprio nariz
sonhar de novo exije uma diretriz.
Era uma vez...

Sabrina Mata

sábado, 8 de maio de 2010

SER MÃE



SER MÃE,
um misterio temido
um desejo instintivo
uma mudança
sem volta,
esperança 
que se aflora.
SER MÃE,
calor incandecende,
proteção acolhedora,
porto seguro,
coração apertado,
noites sem dormir
de prazer e cansaço.
Amor que nunca é escasso.
SER MÃE,
um envolver que logo se sente,
procupação que ninguém desmente.
É maravilhoso, doloroso,
completamente culposo.
massante e estimulante.
SER MÃE,
feminino ativo.
É diariamente experimental,
força que não há igual.
Um cargo sensacional, 
100% ocupacional,
feriado mundial,
merecemos um dia especial.

Feliz Dia das Mães!


segunda-feira, 3 de maio de 2010

"Semeia, em Nós"

Poesia falada, basta clicar no link abaixo:




Amar é sentir
Um desejo latente
O outro contente.
O sabor de um beijo
O calor da alma.
A natureza plena
Em toda sua calma.
Amar é ver o melhor espelho
Enxergar a vibração
Pulsar forte o coração.
Amar é do bem e de bem
Estado extra zen.
Amar é a melhor comida
Noite bem dormida.
Se embreagar sem bebida.
Amar é viver,
Dividir sem querer receber,
Dar o melhor
Se desfazer, pra ser.
Amar é fazer acontecer.
A gente não espera,
Semeia, em nós
Até nascer. 


Sabrina Mata