quarta-feira, 29 de abril de 2009

A menina que não conseguia voar


"Ela sempre se preparava, por mais que ninguem acreditasse, tentava fazer tudo certo. Não era lá de fazer planos ou mesmo malas a longa data antes da partida, mas criava uma rotina para a arrumação de suas bagagens. Fazia questão de estar impecável, mas não se apegava muito no que iria ficar; levava tudo que podia e desligava do que esquecia. Aquele ritual lhe fazia diferente e menos ansiosa por suas suas próprias andanças. Checava tudo no último minuto, gostava de assegurar que estava "tudo certo".  Entretanto na hora H, corriqueiramente era surpreendida por suas distrações ou voltinhas em Marte. Estranho desfecho, ela perdeu o voo mais uma vez. Tinha a síndrome do esqueceu alguma coisa e limitada as regras nacionais, não conseguiu embarcar. Já era de praste voltar pra casa com as malas e frustante mudar os fatos. A menina não conseguia voar, pois se ao caminho a chorar e refez se pronta para mais uma decolagem tentar.


3 comentários:

  1. Sá,
    não deixe essa menina desistir jamais de embracar, tanto na vida como na realidade, embarque, enfrente, tenho certeza que coisas boas vc tirará ...
    Beijos e lindo feriado

    ResponderExcluir
  2. Nossa, parece a história de alguém que eu conheço.......
    ¬¬ haha...

    ResponderExcluir
  3. Ironicamente, a menina que não conseguia voar, decolava cada vez mais alto. Pois sendo uma menina pensante, envolta nas nuvens da reflexão de si e das coisas, certamente reflete isto como ação.

    O destino da menina é a viagem cada vez mais distante para lugares cada vez mais alto.

    Lindo blog!

    ResponderExcluir

É muito bom compartilhar idéias e pensamentos com vocês.

Obrigada!